IMESC lança Nota Técnica sobre a Base Cartográfica Contínua do Estado do Maranhão

9/03/2022

O Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos (IMESC), autarquia vinculada à Secretaria de Estado de Programas Estratégicos (SEPE), lança, nesta quarta-feira (9), a Nota Técnica sobre a Base Cartográfica Contínua do Estado do Maranhão (BC250-MA). A nota tem por objetivo disponibilizar e armazenar um grande complexo cartográfico à sociedade civil em geral, além de uma base geoespacial com referência para mapeamentos temáticos e compatível com modernas geotecnologias de utilização gratuita e privada. 

O presidente do IMESC, Dionatan Carvalho destaca que “a elaboração de uma base cartográfica recente e atualizada configura-se de suma importância, além de subsidiar projetos que permitam o aperfeiçoamento da gestão do espaço e ações governamentais em benefício da sociedade”. 

Nesse contexto, sua produção propõe-se a orientar o armazenamento e utilização de informações no que se refere às diversas aplicações dos usuários. A BC250 se configura por meio de uma representação de objetos inter-relacionados em um banco de dados. 

A importância em torno da confecção de metadados, por sua vez, está relacionada à documentação e à organização das informações de forma sistêmica e estruturada, facilitando seu amplo compartilhamento e manutenção das bases. 

“Antes da atual nota técnica do IMESC, a última Base Cartográfica oficial que mapeou o território maranhense foi elaborada pela Diretoria do Serviço Geográfico (DSG), do Ministério do Exército, em 1980, com atualização executada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2009”, explica o Chefe de Departamento de Cartografia e Geoprocessamento (DCGEO/ DEAG), Wenderson Teixeira.

O produto final constitui-se na elaboração de um sólido banco de dados, que contempla os seguintes elementos cartográficos: Áreas Quilombolas, Assentamentos, Aeródromos, Divisão Político-Administrativa (DPA), Elementos de Altimetria, Elementos de Hidrografia, Face Logradouros, Prefeituras Municipais, Relevo Sombreado, Rodovias e Terras Indígenas, que irão permitir uma visão integrada do território maranhense.

Acesse a publicação clicando AQUI.